quarta-feira, 29 de maio de 2019

Profissão Mãe. O que fazer quando você está nessa?

Imagem
A maternidade chega e com ela chega também vários dilemas da vida da mulher. Além de todas as emoções que envolvem a rotina diária com a chegada do bebê, vai chegar o grande e fatídico dia de ter que voltar ao trabalho. Sendo ele formal ou informal, o momento de deixar a cria no berçário ou em casa com uma cuidadora é um momento difícil.

Você decide retornar seu trabalho, assume seus compromissos, vence e perde batalhas no trabalho ou em casa, mas se mantém fiel a decisão de conciliar as duas frentes, a de profissional e a de mãe. Eis que num belo dia, por uma questão ou outra, que só você sabe qual, decide assumir de vez o papel de profissional do lar. E agora? Como lidar com o ônus e o bônus dessa decisão?

Então, essa foi a minha trajetória nos últimos nove anos e posso dizer que não foi uma decisão fácil. Assumir a casa, os filhos, o parceiro e tudo que une esse universo é uma tarefa prazerosa num dia e desgastante no outro. Você nunca terá certeza da felicidade, porque ela não é continua. A felicidade não está na decisão, mas nos momentos. Você é quem dá o tom. Você é quem dá o peso. 

Se estar com os filhos, cuidar, criar, alimentar, ninar e estabelecer entre você e eles um círculo de troca diária é o seu objetivo maior, vá em frente, mas avalie o que mais pesa na sua decisão. Tempo exclusivo com os filhos é muito desgastante? Reduzir a renda vai fazer muita falta na hora de fechar o orçamento doméstico? Limpar a casa não faz parte dos seus planos? Cozinhar não é o seu ponto forte? Avalie se essa é a melhor decisão.

Não ter hora para chegar em casa do trabalho, ter reuniões na hora do almoço quando você só queria almoçar com seus filhos, chegar atrasada no futebol e perder aquele gol, não poder cuidar do bebê quando está doente porque você está num treinamento... todas essas e outras são questões que também devem pesar quando você morre de vontade de fazer aquele "break" profissional.

Mas tenha certeza, nunca vai sei perfeito. O que vale é a sua vontade somado ao que pode de verdade realizar. Não dá para ser agora? Quem sabe daqui há um ano? Planeje esse tempo. O mais importante na "profissão mãe integral" é não se anular como mulher e profissional. Na hora que optar por fazer esse intervalo, não deixe de praticar algo, de ter um hobbie, um trabalho social, um trabalho temporário... Assim fica mais fácil viver aqueles dias em que você acredita que seu tralhado não tem o reconhecimento que merece, por exemplo. E posso garantir: tem dias que você deseja fugir e em outros se sente a pessoa mais feliz desse mundo. 

E você como se sente em relação a sua condição profissional hoje?


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Há dez anos eu tive a mesma decisão, e não me arrependo nem um pouco, foi a melhor coisa da minha vida. Atualmente estou voltando a blogar como antigamente. Bjs Monalise www.dividindoexperiencias.com

    ResponderExcluir
  2. Tomei a mesma decisão já tem 4 anos que me tornei mãe tempo integral...Não é fácil mesmo, constante montanha russa de emoções, mas com as convicções que tenho penso que não poderia estar em outro lugar a não ser esse nessa fase daa nossas vidas...sendo Mãe!

    ResponderExcluir