quarta-feira, 22 de junho de 2016

Dicas para escolher melhor os jogos eletrônicos para seu filho.

JOGOS ON LINE PARA CRIANÇASAprender brincando. É assim que as crianças deveriam ser estimuladas no período que passam fora da sala de aula. Desafiar o cérebro dos pequenos com jogos e brincadeiras pode aprimorar as funções cognitivas, como a memória, a linguagem e o raciocínio lógico, habilidades que serão usadas pelo resto da vida, além de trabalhar a magia da imaginação, capacidade que as crianças possuem como ninguém. 

No computador, no tablet ou no celular,  nossos filhos têm acesso a um mundo de diversão e conhecimento, e eles se adaptam à tecnologia muito melhor que nós adultos. Por isso, oferecer esse tipo de diversão para elas garante entretenimento, mas sem deixar de lado a brincadeira, que é essencial para o universo infantil. 

Antes de ir ligando o computador e deixando a criança sozinha na frente da tela, fique atento para as dicas do SEO Marketing do Site jogos online para que os pequenos sejam capazes de aproveitar melhor esse estímulo e quais jogos sugerir para eles. 

Como fazer dos jogos um hábito saudável?

Primeiramente, é necessário compreender que existem diferentes jogos com objetivos distintos para cada etapa da vida infantil. Por isso, você pode sugerir algumas opções baseadas na descrição do jogo e nas preferências do seu filho, que tem muito mais chances de gostar e aproveitar o potencial do game. Entretanto, nada de usar esta forma de distração como método de aquietar a criança, já que não é recomendável que ela passe muito tempo com este tipo de atividade. É necessário oferecer também outros estímulos, como brincadeiras ao ar livre, e deixá-la ciente de suas próprias responsabilidades, como arrumar a cama e fazer a lição de casa. Crianças que passam muito tempo jogando podem apresentar sintomas de vício, e sofrer com consequências graves, por isso, monitore o seu filho! 

Outras tarefas essenciais para que os adultos proporcionem momentos de diversão e aprendizado para os pequenos são: 
  • Deixe os bebês longe das telas: Até existem jogos específicos para bebezinhos, mas o que não é aconselhável é o contato dos olhos ainda frágeis com telas luminosas. Os bebês podem se divertir com brinquedos especiais para sua faixa de idade, como chocalhos, mesas de atividades e livros ilustrados. 
  • Apenas 2 horas por dia: Acima de dois anos, as crianças não devem passar muito tempo em frente às telas. 2 horas por dia são o suficiente, incluindo o tempo gasto com TV, videogame, celular, tablet e computador. É essencial para o desenvolvimento do seu filho receber estímulos externos, como brincadeiras que movimentam o corpo e interação com os amiguinhos, ao invés de passar horas imóvel dentro de casa. 
  • Fique por perto: Na hora de deixar seu filho com um dispositivo que acessa a Internet, fique por perto e controle o conteúdo exibido, pois as crianças podem chegar a sites e aplicativos impróprios para a faixa etária. Alguns aparelhos têm a opção de configurar um modo especial para crianças, que faz o bloqueio de conteúdo, ligações e outros recursos que não serão usados por elas. 
  • Brinque junto: Mesmo em um jogo virtual, é possível que o adulto participe. Ele pode ficar ao lado dos pequenos dando dicas, revezando as jogadas, comemorando as vitórias e ensinando que a derrota também acontece. Só não vale tomar a vez da criança! 
Quais os jogos mais apropriados?

Nem todo game tem o gosto da criança. É essencial ficar de olho no que cada criança gosta e na necessidade de cada uma, sem esquecer da idade, vai render uma experiência ainda mais alegre para seu filho. 
  • Minecraft: Neste jogo, as crianças podem verdadeiramente soltar a imaginação para construir mundos formados de pequenos blocos virtuais. Com diversas versões disponíveis, dá para criar casas, monumentos, naves espaciais e até mesmo preparar uma receita de bolo dentro do game. Além disso, é colaborativo e estimula o trabalho em equipe, a tomada de decisões e o planejamento de ações. 
  • Candy Crush: Com os sem doces, jogos como o Candy Crush, que precisam de organização de diferentes elementos, agilizam o raciocínio da criança, pois quanto mais rápido, mais recursos especiais vão surgindo e mais pontos se ganham. 
  • Jogos de matemática: As crianças que já estão em fase escolar e que já conhecem os números podem praticar as operações matemáticas com jogos lúdicos que ensinam a somas, subtrair, multiplicar e dividir. O passatempo acaba sendo também um reforço escolar e pode ajudar as crianças que têm dificuldades no conteúdo dentro da sala de aula. A vantagem dessas brincadeiras é que podem ser encontradas em forma de jogos online, que facilitam bastante a vida do pai e do filho. 
  • Pintar e colorir: A descoberta das cores, a percepção das formas geométricas e a identificação de personagens podem ser as lições aprendidas em simples jogos de pintar os desenhos que aparecem nas telas, principalmente para os mais novos. Nem sempre a criança vai ser fiel às cores do mundo real, mas a liberdade é uma ótima forma de exercitar a criatividade. 
  • Caça-palavras: A busca por palavras escondidas entre diversas letras podem ajudar os pequenos a se familiarizarem com o alfabeto. Entre os 5 e os 7 anos, quando a criança ainda está aprendendo as primeiras palavras, ele poderá identificar no jogo aquelas que já conhece e aprender algumas novas, já que, cientificamente, o caça-palavras atua na memória de curto prazo. 
Viu? Não precisamos proibir. Basta dosar! Todas as atividades, quando são na medida certa e apropriadas para a faixa etária, são benéficas para as crianças. Experimente jogar junto com seu filho e verá que fica ainda mais fácil direcionar os jogos e colocar limites. 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário