terça-feira, 9 de junho de 2015

Os vilões da alimentação das crianças. Abra os olhos!

Nem tudo que oferecemos para as nossas crianças faz bem para a saúde delas. Com a correria da vida moderna, fica difícil fugir dos alimentos industrializados, mas deixar que eles façam parte do cardápio diário dos nossos filhos é um grande perigo. Os alimentos industrializados são altamente processados, cheios de conservantes e sódio e com baixo valor nutritivo. Imagem aqui

Quando permitimos a entrada dos industrializados na alimentação das crianças, estamos interferindo no paladar delas. As substâncias presentes nos alimentos processados realçam o sabor, fazendo com que se acostumem a esses alimentos. Quanto maior a frequência e quantidade ingerida, mais difícil a aceitação de alimentos in natura ou preparados de forma saudável. E mais difícil a mudança para hábitos saudáveis.  

De olho no que as crianças andam comendo, pesquisamos os maiores vilões da alimentação e relacionamos os mais críticos que encontramos para ajudar você a avaliar e fazer substituições.
  • Achocolatados. Os achocolatados não oferecem nenhum nutriente, pelo contrário, muito açúcar e muito sódio. Isso serve tanto para o pozinho mágico para preparo quanto para as bebidas de caixinha. Prepare a bebida em casa com cacau em pó e regule a quantidade de açúcar você mesmo. Quente, morno ou gelado, é possível criar xícaras, copos e canecas incrivelmente deliciosas.
  • Barrinhas de Cereal. Uma opção prática para o lanche da escola, a barrinha de cereal nem sempre oferece o que promete: fibras. Muitas têm mesmo muito sódio, açúcar e lecitina de soja, que dá liga no alimento e pode causar alergia. Se puder fazer em casa, ótimo, caso contrário, olho no rótulo. 
  • Biscoitos recheados. Podem ser uma delícia, mas não agregam valor nutricional significativo e são carregados de gordura saturada, trans, corantes e muito, muito açúcar. Os biscoitos em geral merecem a nossa atenção. 
  • Bisnaguinha. Bonitinha, mas muito malvada, a bisnaguinha é o pãozinho mais carregado de conservantes do mercado. Faça o teste e verá que ela leva semanas para estragar, dentro ou fora da embalagem. Prefira os pãezinhos da padaria feitos no dia e dê preferência aos de farinha integral. 
  • Bolos prontos ou mistura para bolos. Ricos em gordura, açúcares e muito sódio, os bolos prontos são uma "bomba". Prefira os bolos simples feito em casa, tipo os bolos da vovó. Com a prática do preparo, vá substituindo a farinha branca pela integral, o açúcar branco pelo mascavo e o achocolatado pelo cacau. E saiba que o bolo simples pode ser congelado. Fica uma delícia! Você vai ver que dá certo! 
  • Cereal Matinal. Prático, gostoso e com grande concentração de açúcar, deve ser evitado se tiver adição de açúcar. Ofereça os que não têm açúcar, junto com leite e uma fruta. Assim fica mais saudável.
  • Embutidos. Os embutidos são carne e miúdos triturados, com grande quantidade de gordura, sal, sódio e corantes. As famosas salsichas, por exemplo, não contém nenhum nutriente e estão presentes no lanche preferido da crianças, o cachorro quente. Podemos deixar essa opção somente para os aniversários.
  • Macarrão instantâneo. Todos os instantâneos do mercado fazem mal à saúde porque contém muito sódio e gordura, segundo a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste). Pior que o macarrão é pó que acompanha com quantidades abusivas de glutamato monossódico, conhecido como realçador de sabor, que pode causar dependência.
  • Nugget. Uma mistura de partes do frango, pele, farinha e leite em pó, o nugget que as crianças tanto gostam, e que achamos super prático, nada mais é do que uma mistura " tudo do frango", triturado e temperado. Como dizem as crianças: "Eca!". Fazer um nugget em casa não é difícil e é muito saudável. Fazendo uma boa quantidade, você pode congelar e torná-lo tão prático quando o do mercado. 
  • Pipoca de microondas. Prática, caras e cheias de gordura. Prepare a pipoca em casa, na panela, com pouco óleo vegetal e pouco sal. Nada de manteiga ou margarina. A pipoca na verdade é rica em fibras e substâncias antioxidantes, mas se soubermos valoriza-la. 
  • Refrigerantes, isotônicos, águas com sabor, chás e sucos industrializados. Essas bebidas são campeãs no açúcar e perdedoras nos nutrientes. Nem sempre conseguimos impedir as crianças de beberem em festas de aniversário, passeios e viagens, porém em casa elas podem e devem ser evitadas. Foco na água e nos sucos naturais e integrais. 
  • Salgadinhos industrializados. Difícil encontrar salgadinhos saudáveis porque tudo é processado, mas existem opções orgânicas e assadas que não contém tanto conservante, mas que também não são nutritivas. O  ideal é reduzir consideravelmente a ingestão, deixando somente para os momentos de lanche fora de casa.
  • Sobremesas Lácteas e derivados. As queridinhas das crianças, as sobremesas lácteas, iogurtes e petit suisse são cheios de corantes e pobres em cálcio. Mas como ninguém é de ferro, vai comer de vez em quando. Então, sempre que possível, bata o iogurte natural com uma fruta e tenha uma combinação bem gostosa de iogurte de frutas natural. 
Como cortar tudo fica muito difícil (e chato), podemos criar algumas regras para o consumo. Veja as nossas:
  • Não compre ou reduza a quantidade. Quando não compramos, não encontramos na dispensa e não comemos. Deixe o consumo para locais especiais, como restaurantes e festas. 
  • Escolha melhor as marcas e leia sempre os rótulos. Repare no item que vem primeiro na lista que é o de maior quantidade no produto. Assim você avalia melhor o consumo. 
  • Inclua alimentos in natura para compor as refeições. Por exemplo: Se a criança come no café manhã somente cereal matinal com leite, inclua alguma fruta e vá diminuindo a quantidade de cereal. Quem sabe consegue mudar o café da manhã do dia seguinte incluindo pães, queijos e frutas. 
  • Aumente a oferta dos bons alimentos e mude o preparo. É preciso tentar. Oferecer e mudar o modo de preparo (cru, assado, combinado...) permite que a criança experimente vários sabores para um mesmo alimento. Banana crua tem sabor diferente de banana com canela ou banana assada. 
  • Não negocie comida nunca. Se comer ganha isso ou aquilo. A hora da comida deve ser um prazer. 
  • Sem distrações na hora das refeições. Os alimentos industrializados combinam bem com uma vida corrida e agitada. Na hora de comer, faça a criança desconectar das distrações, principalmente eletrônicos. Sentar a mesa e prestar a atenção ao alimento deve ser um ritual. Todos juntos: Pais e filhos. 
  • Dê o exemplo. Comer bem é para todos. Avalie seus hábitos alimentares também. 
  • Troque o supermercado pela feira. Ao invés de levar a criança para o supermercado, crie o hábito de ir com ela a feira. Existem feiras até nos sábados. Deixe que escolha alguns alimentos e que ajude você no preparo. 
  • Brincadeira na cozinha. Livros de receitas são uma ótima opção para uma brincadeira em família e auxilia na mudança de hábitos.  Experimente!
  • Restringir não significa proibir. Uma boa conversa torna tudo mais fácil. "Vamos reduzir a quantidade desse determinado alimento por tal motivo". Comendo bem no café da manhã, almoço e jantar não existe a necessidade de tanta preocupação. Um vez o outra a criança pode levar uma lancheira não tão rigorosa e aproveitar os finais de semana. Quando criamos hábitos saudáveis a própria criança fará as melhores escolhas.  
  • Busque receitas saudáveis. Basta um click na internet que encontramos dezenas de dicas de receitinhas saudáveis para crianças que podem substituir esses alimentos. Nós vamos ajudar trazendo algumas receitas nos próximos post. 
Aqui em casa o suco de caixinha perdeu a batalha para os sucos naturais faz tempo. Todos concordam que não existe comparação em termos de sabor e nutrientes. Bebida industrializada só fora de casa ou exceções. Uma decisão que agora é feita pelas crianças. Vitória!

E você? Também concorda que precisamos abrir os olhos para esses alimentos? Se gostou, compartilhe e ajude outras famílias a equilibrar a alimentação. 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário