segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Dia Mundial Sem Carro. Devemos refletir!

FREE CAR DAYHoje é o Dia Mundial Sem Carro, o CarFree Day. Comemorado pela primeira vez em 1998, em 35 cidades francesas, ganhou adeptos por toda a Europa e em pouco tempo o movimento chegou a outros continentes. Aqui no Brasil, o Dia Sem Carro aconteceu pela primeira vez em 2001, e vem crescendo a cada ano. Imagem

Em muitas cidades é comum as Prefeituras fecharem  algumas ruas para o trânsito de automóveis e promoverem atividades de caminhadas, distribuição de panfletos e passeios ciclísticos.

Mais do que deixar o carro em casa neste dia, o Dia Mundial Sem Carro nos dá a oportunidade de pensar no quanto valorizamos e somos dependentes desse bem.

Como faço uso do meu carro? Ele é compartilhado entre a família ou cada um tem o seu?
Uso o carro pra ir até a esquina comprar pão ou caminho pelo bairro?
Levo meus filhos de carro para escola que fica próxima de casa ou aproveito para caminhar?
Como a minha Cidade e Prefeitura encaram essa prática? Existe uma boa mobilidade urbana? Como é a qualidade do transporte coletivo?
Eu exijo e cobro mudanças dos governantes pensando no futuro dos meus filhos?
Eu preciso usar o carro todos os dias, mas valorizo e respeito pedestres e ciclistas?
Respeito as leis de trânsito?  Mantenho os limites de velocidade?

Infelizmente nem todas as pessoas podem aderir ao Dia Sem Carro, por inúmeros motivos, como por exemplo, levar mais de um filho para escola, com todos os seus pertences, atravessar avenidas com alto fluxo de veículos, sem faixa de pedestres, sem redutores de velocidade, dentre outros.

Sempre teremos argumentos para continuar vivendo dentro do mesmo formato. O que precisamos fazer é praticar momentos e dias sem carro. Podemos abolir o uso do carro para circular no bairro e assim incentivar o comércio local e a sustentabilidade. Precisamos repensar nosso modo de vida atual e o quanto isso vai refletir no modo de vida dos nossos filhos. Refletir sobre o nosso comodismo. Refletir sobre o nosso consumismo. Ter um carro ainda é um dos maiores desejos da maioria das pessoas em nosso país.

O mais importante é repensar: Como são meus hábitos, que impactos eu causo, onde estou contribuindo, o que estou ensinando e o que posso fazer para melhorar.

E parabéns a todas as pessoas e entidades engajadas nessa mudança. 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário