segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Criança dormindo na cama dos pais. Pode?

Existem opiniões diversas com relação as crianças dormirem junto com seus pais. Algumas famílias aprovam e outras reprovam. Nós nunca praticamos a cama compartilhada e sempre incentivamos que os meninos dormissem no quarto deles, e cada um na sua cama. Nem no período de amamentação noturna, que durou dois meses. O foco sempre foi os horários de alimentação para auxiliar nos horários de sono. Assim, todos tiveram suas noites de sono preservadas: pais e filhos.


Essa rotina durou até os seis anos de idade. Nada de dormir com os pais. Mas quando pensamos que nada poderia mudar esse hábito, nos enganamos. Bastou que o pai viajasse com frequência para que os pequenos aproveitassem para dormir junto com a mãe. E é nessas horas que percebemos que nós mesmos estragamos aquilo que construímos. Você permite um dia, dois, três... E vira bagunça. Por isso sou a favor da rotina para o bem. 

Já passamos pelas crises de terror noturno e, ao buscar ajuda de um neurologista, descobrimos a importância de cada um dormir na sua própria cama. Noites mal dormidas causam inúmeros transtornos para pais e filhos. Há quem defenda que dormir junto ajude no desenvolvimento emocional da criança. Basta uma pesquisa rápida sobre cama compartilhada que você encontra várias teses. Nós defendemos a preservação do sono de todos, mas o acolhimento dos filhos quando preciso. Desenvolvemos a rotina do sono desde muito cedo e colhemos bons frutos, mas hoje entendemos que a vontade de vir para a cama dos pais pode estar relacionada a insegurança do crescimento.

Como as visitas estão se tornando frequentes e dormir juntinho prejudica também o nosso sono, tentamos algumas dicas para levar a dupla de volta para o seu quarto. Se você está nessa também, vale tentar!
  • Mantenha o quarto aconchegante. Valorize o ambiente vedando a iluminação da janela e valorizando os pertences como o travesseiro, a manta ou um boneco preferido.
  • Pratique o hábito de adormecer lendo um livro, seja com o irmão ou com os pais.
  • Defina um horário para "chamar o sono", criando ou retomando a rotina.
  • Garanta as noites de sono serão tranquilas praticando a desaceleração depois das 20h. Uma alimentação leve, um banho gostoso e não usar eletrônicos e tevê, pelo menos uma hora antes de adormecer, são fundamentais e dão resultado.
  • Se dormir sozinho não está sendo fácil, deite ao lado da criança, mas não leve-a para o seu quarto.
  • Defina um dia ou ocasião especial para que possa dormir na sua cama como um incentivo para seguir em frente. Da mesma forma que come guloseimas nos fins de semana pode ter um dia especial para essa exceção.
  • Um pesadelo, uma noite febril ou um momento difícil, como a perda de um animal ou parente querido, é uma exceção. Adormecer juntinho pode funcionar como um acalento.
  • Não desista tão fácil. Leve a criança de volta para a cama dela sempre que vier para a sua no meio da noite. Uma hora vai dar certo!
Se você tentou de tudo e não conseguiu, talvez precise de ajuda de um especialista para identificar as dificuldades da criança com relação ao sono. Problemas respiratórios ou psicológicos atrapalham muito o sono, mas podem ser resolvidos com tratamentos e terapias. O mais importante é olharmos para o nosso filho evitando comparações. Comparar o sono de um com o sono de outros pode servir como um sinal de alerta para melhorias, mas não como uma regra a ser seguida.
 
Agora, se o seu filho já dorme a noite inteira na própria cama, mas vai para o seu quarto pela manhã, aproveite! Afinal, essa fase vai passar. Nós tentamos de tudo, mas também aproveitamos!
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Gisa, vc tem razão...as coisas desandam quando saimos da rotina..tanto que depois de umas ferias bem longas que tiramos em dez/jan, Dan passou a dormir no nosso quarto e até hoje permanece, porém no colchãozinho ao lado. Foram muitas tentativas de fazê-lo voltar à rotina, mas, não deu certo e nós relaxamos. Não sei por quanto tempo assim permencerá mas por enquanto estamos preferindo as noites tranquilas às várias levantadas durante a madrugada para colocá-lo de volta em seu quarto.
    Bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa e como desandam. Nós viajamos com frequência para Santa Catarina e ficamos na casa dos nossos pais. Em uma das casa ganhamos até uma cama de casal, mas quem disse que o casal aqui chegou um dia a dormir sozinho? Nunca. A dupla adorou a cama nova. E aí quando voltamos para casa... Já sabe. "Mãe, posso dormir com você hoje de novo?" Beijos Myriam!

      Excluir
  2. eu tive cama compartilhada por 5 anos
    não me arrependo e como foram 5 anos
    fomos aos poucos levando ela a seu quarto
    e quando ela vem de amanhã aproveito rs

    Lindo Dia
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda! Você é a prova de que para algumas famílias realmente funciona. Acho uma delícia adormecer agarradinho aos filhos, mas durante a noite passo trabalho. Obrigada por sua contribuição. Beijos

      Excluir