quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O Tigre e os limites.

Nos últimos dias assistimos atônitos a história do menino que teve o braço dilacerado por um tigre no Zoológico de Cascavel, no Paraná. Um passeio que era para divertir se tornou um pesadelo. Imprudência ou irresponsabilidade? O que podemos aprender com fatos como esse?
 
Histórias da vida real nos levam imediatamente a pensar em nós mesmos e em nossos filhos. É fácil criticar e tentar encontrar um culpado para o que acontece de errado com os outros, mas independente dos fatos, filhos são nossa responsabilidade. Se estamos com eles, deles devemos cuidar. E cuidar não passa apenas por dar a mão. Cuidar é dar limites e limites construímos dia a dia. Limites ensinamos na conversa, explicando e repetindo.

Educar não é fácil, mas é nossa responsabilidade. Precisamos olhar com mais atenção para as nossas crianças e reavaliar a educação que estamos oferecendo. Não garantimos educação matriculando nas melhores escolas, mas ensinando limites. Educação se oferece em casa. A escola ensina e nós, os pais, educamos. Os limites conferem segurança e permitem que a criança faça escolhas: escolha o que é bom e o que é ruim, o que é certo e o que é errado.  Imagem

Os limites são bons para todos: crianças, jovens e adultos. Os limites nos fazem pensar. E é disso que todos nós estamos precisando: pais, filhos, sociedade, empresas e governo. Precisamos de limites para garantir respeito próprio e respeito aos outros. O Tigre está na vida representado de várias formas. Ele nos "tira pedaços" quando não temos limites. Atitudes imprudentes e irresponsáveis são cometidas por jovens e adultos todos os dias desafiando diferentes "Tigres". E nós? Será que por vezes não somos imprudentes e irresponsáveis? Basta tomar as atitudes no trânsito como exemplo que encontramos tantas outras faltas que na verdade consideramos inofensivas.  

Não queremos ser mais um a culpar esse pai e lamentamos profundamente o ocorrido, desejando que o amor da família e amigos transforme a dor em alegria o mais breve possível. Queremos incentivar a reflexão sobre a importância de impor e respeitar limites.

E você, o que pensa sobre isso?
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário