sábado, 24 de maio de 2014

Mãe, uma carta para você.

Quando somos filhos, não temos a verdadeira ideia dos sentimentos que rondam uma mãe. O tempo vai passando e não nos damos conta de quantas bobagens fazemos e dizemos para quem nos cuida com tanto carinho.
 
Basta crescer um pouquinho para achar que sabemos mais do que ela, que somos modernos e ela desatualizada. Chegamos na adolescência acreditando já ter experiência de vida. Mentimos e omitimos para não ter que ouvir.  Viramos adultos e nos achamos os donos do pedaço. Mãe fala demais, pergunta demais, se preocupa demais.
 
Aí um dia, a vida nos apresenta umas verdades e nos faz pensar em como nosso comportamento é injusto com a pessoa que mais nos quer bem. Para alguns filhos, essas verdades surgem quando se tornam mães e pais. Encontram no comportamento dos filhos o seu próprio comportamento. Para outros, essas verdades surgem quando a vida dá sinais de que é breve. Infelizmente, nem sempre há tempo de reconhecer e aproveitar. 
Por isso, no mês das mães e no seu aniversário, quero reconhecer mãe, a sua grandiosidade. Não só por ter me gerado, mas por ter me criado, educado e amado.  Por ter superado diversos obstáculos e ter se mantido forte e presente nas nossas vidas. Sei que gostaria de ter feito muitas coisas diferentes, mas tenha certeza que fez o principal registro na minha vida: a presença.  
 
Da mesma forma que recebi dos meus filhos, suas composições da escola, retorno as minhas para você:
 
Teu olhar sempre foi cheio de significado... Lembro-me de todas as vezes que, em festas da família, adormecia em seu colo, com meu ouvido encostado no seu peito e ouvia a sua voz ao conversar com as pessoas... Isso era tão bom.
 
Sei que você costumava me carregar quando criança... Hoje te carrego para, juntas, descobrirmos coisas novas e que nos deixam felizes. Livros, cafés, boas ideias e muita conversa...
 
Mãe, sei que você não é uma leoa... Mas lembro-me perfeitamente em como você lutou duas vezes pela vida, nos ensinando que acreditar faz toda a diferença. Que o nosso valor não está na conta bancária, mas no que podemos e fazer com o que somos e o que temos. .
 
Minha Mãe bacana, que a vida reserve grandes momentos para você, para nós, para a nossa família. 
 
Com amor,
 
Leninha
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário