sexta-feira, 15 de novembro de 2013

O que é a filosofia "Slow Parenting"?

No último post falamos brevemente sobre a filosofia "Slow Parenting". Traduzindo ao pé da letra significa parentalidade lenta, mas indo a fundo você descobre que nada mais é do que desacelerar o ritmo de vida de quem tem crianças por perto.

Seria organizar a vida da família e da criança de uma forma mais simplificada, com menos correria, menos fast food, menos consumo, menos atividades, menos cobrança e mais tempo livre para explorar o mundo no seu próprio ritmo. É ir na contramão da tendência generalizada dos pais de criar uma agenda engessada para as crianças, utilizando diversos serviços extras, ingerindo alimentos processados e exigindo resultados competitivos. É viver de uma forma desacelerada.

O QUE SIGNIFICA SLOW PARENTING - MAE BACANA
Imagem
Porém podemos pensar o quanto nossos filhos deixariam de aprender, ou de aproveitar, sendo à favor de filosofias desse tipo: mais por menos. Não é melhor aprender de tudo um pouco? Praticar vários esportes? Aproveitar o máximo o dia? Trabalhar mais, ganhar mais e adquirir mais?

A filosofia do menos é mais pode estar sendo influenciada pelo resultado do desempenho de muitas crianças e jovens. Estar ocupado e ter dezenas de atividades ao longo da semana não significa ótimos resultados na escola, no vestibular. E não vai garantir ótimos resultados no trabalho futuro. Basta você conversar com algum professore, educador ou psicólogo e vai atestar que as escolas e consultórios possuem registros de diversos problemas ocasionados pela vida moderna. Problemas de saúde e de comportamento.

Outra influência é o fator econômico de muitas famílias. Em tempo de cortes no orçamento familiar, os pais precisam ser criativos para reorganizar a rotina da família. Precisam eleger prioridades, optar por menos atividades, por uma melhor alimentação, por opções de lazer mais em conta, por qualidade de vida. Precisam focar naquilo que realmente importa. Quando o orçamento aperta a tendência é desenvolvermos nosso pensamento para um novo estilo de vida e isso tem suas vantagens.

Independente de qual influência, todo excesso tem seu preço e um dia a conta chega. Resta saber se estamos dispostos a pagar um preço tão alto por levar uma vida tão "louca".

Nós por aqui defendemos o equilíbrio sempre, mas acreditamos que vale a pena entender melhor algumas filosofias de vida e tentar praticar o que elas podem trazer de melhor pra nossa vida.

Conheça alguns movimentos e organizações que nos fazem pensar em desacelerar e viver melhor.

Food Revolution Day  - Embora o principal objetivo do Dia da Revolução Alimentar é aumentar a consciência para a doação de recursos para educação alimentar, esse movimento nos inspira a pensar melhor sobre o que comemos e no desperdício dos alimentos.

Compro de Quem Faz - Um movimento para incentivar o sustentável e o local, por meio do apoio às pessoas que amam o que fazem.

Infância Livre de Consumismo - Um movimento que acredita que para cumprir nossa responsabilidade de educar  para a cidadania e a sustentabilidade é preciso o apoio do Estado e a responsabilidade das empresas privadas, dos veículos de comunicação e das agências de publicidade.

Akatu - Debate temas ligados ao nosso estilo de vida, nossas atitudes diárias e tudo que está ao nosso redor. A sociedade, a economia, o planeta. Trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente.

Você conhece algum movimento, organização ou filosofia que contribui para o seu estilo de  vida? Compartilhe com a gente.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Post super interessante. Tenho visto muito exemplos ao meu redor de família que super estimulam os filhos desde muito cedo e não entendo o porquê disso. As vezes penso se estou sendo devagar demais com o Daniel tendo em vista que vai à escolinha somente por um turno e nada mais...mas aí eu me lembro da minha infância e o quanto foi bom ter tempo livre. Meu filho acabou de completar três anos e não ha motivo para pressa. Ele tem o resto da vida adulta para se ocupar, não é? Ótima reflexão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Myriam! Acredito que tudo deve vir de acordo com a idade e mesmo assim devemos refletir sobre nossos decisões com a família e com as crianças. Excessos pra quê? Beijos Myriam!

      Excluir