terça-feira, 13 de agosto de 2013

Montanha russa de amor - Por Henrique Guimarães Malina

Eu bem que fui avisado que a chegada dos filhos é uma loucura, que eu não saberia mais o que é dormir e que minha de vida mudaria bastante. Não sei se é por que sou otimista ou por que eu sempre gostei de crianças, mas eu não acreditei que seria tudo isso.
 
De qualquer forma, querendo ou não, o aviso acabou sendo importante para eu não entrar na maior montanha russa da vida achando que seria um simples passeio no parque.
 
Antonela, Henrique, Valentina e Vitória

Assim que minha filha nasceu, eu quis ficar o maior tempo possível perto dela. Voltava do trabalho correndo todos os dias e logo mudei a minha forma de falar (agora sem usar palavrões para ressaltar algo). Isso foi fácil. Difícil foi passar pelas mudanças no meio da pressão de choros, noites mal dormidas e refeições mal comidas.
 
Depois de algumas voltas nessa montanha russa, eu finalmente pude me considerar um pai de verdade e passei a curtir os altos e baixos dessa nova vida. Quando a velocidade do brinquedo começou a diminuir, veio uma novidade, iríamos ter gêmeas. Pronto, estava tudo acelerado ao máximo novamente.
 
Dessa vez eu estou conseguindo curtir cada instante, pois eu sei que essas serão as últimas voltas e afinal de contas, eu já sou um pai. Tenho que admitir que muitas vezes é cansativo e que na hora do coral de choros, pode vir uma pequena vontade de sair correndo. Mas o que recebo em troca é infinitamente maior.

Como pai descobri que a felicidade plena não é só quando nossos filhos dormem. Tenho incontáveis momentos e lembranças especiais com cada uma de minhas filhas. É muito emocionante quando eu olho as três juntas brincando, apesar da diferença de idade. Sem falar do privilégio que é ver a evolução de cada uma e a interação entre elas. Esse é o maior presente que eu recebo todos os dias!

Obrigado, minhas lindas filhas, eu amo muito vocês!

Henrique Guimarães Malina, é empresário, casado com Valéria Tagliari Malina e pai de Valentina de sete anos e das gêmeas Antonela e Vitória com quase um ano.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Oi Gisa e Henrique!
    Muito bom o relato e concordo com você, pois o que nós, pais, recebemos em troca, é um amor tão puro e incondicional que as dificuldades e cansaço ficam para segundo plano na vida.
    Parabéns pelas filhas lindas!

    Larissa Andrade.

    http://maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir