sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sobre a vontade de fugir e o que me faz ficar - Por Ananda Etges

Uma hora da madrugada. Coloco minha filha no peito para mamar. Não faz nem vinte minutos que ela chorou pela última vez. Tendo como parâmetro as últimas noites, provavelmente meu sono só vai acumular, pois a situação anda complicada.

E veja bem: o fato de eu não dormir direito não é um fator isolado. Some isso a um menino cheio de energia e personalidade, no auge dos dois anos. Exatamente, o famoso e tortuoso terrible two.
 
Ananda, Clara e Vítor

O resultado da matemática materna é bem simples: uma mãe esgotada. Tem dias que minha única vontade é sumir do mapa. Ir para bem longe e, com certeza, sozinha.

Mas o que me faz ficar? Da onde vem a motivação para acordar todos os dias, mesmo tendo levantado inúmeras vezes para atender as crianças? Como ainda consigo me reafirmar na escolha de me dedicar de forma quase que integral aos meus dois filhos?

Sinceramente? Eu não sei explicar. Poderia jogar clichês ao vento e dizer que é porque ser mãe é o maior amor do mundo, que meus filhos me completam e que eles representam a felicidade. Tudo isso pode ser parcialmente verdade, mas não satisfaz de forma total os meus questionamentos.

Assim, prefiro reduzir a pergunta para um recorte no tempo. Hoje, o que me fez ficar? O que fez valer?

Aí sim. Basta fechar os olhos e procurar algo entre uma crise de birra e um choro. Entre a bagunça da casa e os brinquedos jogados no chão.

E sabe? Eu sempre acho. Um sorriso sincero, um toque na mão esboçando um carinho, um indício de amor. Gestos e momentos que servem como ponto de equilíbrio e me fazem ir além, sem muita explicação.

Apenas, com o coração.


Ananda Etges é, segundo ela, um projeto de jornalista que acabou virando um projeto de mãe (mãe de dois). Autora do Blog "Projeto de Mãe".
 
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Ananda as vezes tenho vontade de fugir como vc, mas vc foi muito feliz no seu post, pois são esses momentos de amor singelo e verdadeiro, que me fazem ficar, que fazem seguir em frente.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A maternidade é assim, a gente sempre encontra um motivo pra ficar. Adorei! Todas nós temos o momento de querer sair correndo. Risos... Obrigada Ananda por sua participação. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esse recorte no tempo é o que nos ata ao presente. É o que zera os acumulados do passado e as expectativas do futuro. E aí nos damos conta de que é o único momento em que podemos ser felizes e fazer tudo valer a pena. Gostei muito do seu texto!
    Um beijo!
    Marusia

    ResponderExcluir