segunda-feira, 27 de maio de 2013

Bullying - Você entende e sabe como prevenir?

Atualmente ouvimos falar muito sobre Bullying, principalmente quando estamos rodeados de crianças e adolescentes. Mas será que, como pais e educadores, conhecemos realmente o que é bullying e sabemos como prevenir? 

No mês de julho será lançado o livro Bullying: conhecimento é a melhor forma de prevenir - Editora Suprema - de autoria da Profª Ms. Juliana Munaretti de Oliveira Barbieri, primeiro trabalho acadêmico sobre Bullying publicado no Brasil. Uma forma simples de entender melhor o que é Bullying e como podemos prevenir, nos dando suporte no diálogo com nossos filhos.



Além de atender aos pais o livro atende a outros segmentos da sociedade como alunos, educadores, psicólogos, pedagogos e advogados. Nele, a autora descreve a sua experiência de vida frente ao fenômeno, aborda o que é previsto na legislação vigente, fala da percepção dos alunos participantes/assistidos, cita casos resolvidos de maneira descomplicada e engraçada e sugere meios de combater este mal.

Conversamos com a Profª Juliana que nos contou um pouco sobre esse trabalho. Segundo ela, as ações promovidas pelo Bullying acontecem sem motivo aparente, de forma covarde, intencional e repetida, manifestada numa relação desigual de poder, a fim de tirar a paz de suas vítimas predestinadas. Seus autores vitimizam pessoas que têm alguma característica que sirva de foco para suas agressões. Usando geralmente colegas da mesma sala de aula como suas vítimas, é uma forma de violência escolar, expressa de maneira sutil, acontece em todos os níveis de ensino, principalmente, porque coincide com a adolescência, fase em que o indivíduo se encontra em transição física, emocional e psicológica entre a infância e a fase adulta, diz Juliana.

Ela destaca ainda que os espectadores também sofrem as consequências de Bullying, porque participam diretamente assistindo o sofrimento das vítimas têm medo de se tornarem futuras vítimas, por isso se calam diante das ações dos autores. Quando não causa sequela física, esse comportamento provoca consequências psicológicas ou emocionais graves nas vítimas, pois as atitudes agressivas não têm um motivo justo, causando dor e angústia.

Tomando conhecimento do trabalho da Profª Juliana percebemos que, independente da idade dos nossos filhos, é importante tomarmos conhecimento do assunto, criando um canal de diálogo com nossos filhos e exigindo da escola uma postura responsável frente ao fenômeno. Quando debatemos o assunto em casa, de forma consciente, encorajamos nossos filhos a lidar com o problema, posicionando-se e descaracterizando o Bullying.

Quer saber mais sobre o trabalho da autora?

Profª Ms. Juliana Munaretti de Oliveira Barbieri - Possui Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente (2007), Licenciatura Plena em Geografia (1998), e conta com onze anos de experiência na área de Educação, com ênfase em Ensinos Fundamental e Médio e, principalmente, Bullying. Atua como palestrante sobre Bullying em Escolas e Empresas. É autora do livro Desvendando e prevenindo Bullying (não publicado, ainda), coautora do livro (Ins) Pirações Familiares, escreve artigos sobre Bullying em seu Blog Desvendando e Prevenindo o Bullying.  Acesse e confira!.

É autora também do projeto Desvendando e Prevenindo Bullying, aplicado nas duas escolas onde é Titular de Cargo, sendo a Escola Estadual Bento de Abreu - Governo do Estado de São Paulo, em Santa Lúcia – SP e na Etec Paulino Botelho - Ceeteps - Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza -, em São Carlos - SP. 

E você, sofreu Bullying na infância? Qual a seria sua postura hoje se esse problema acontecesse com seu filho? Deixe seu comentário!
Comentários
13 Comentários

13 comentários:

  1. Querida Gisa, eu agradeço o carinho, amizade e divulgação do meu trabalho. Louvo a Deus pela sua vida! Bjo e muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem agradece somos nós por você compartilhar seu conhecimento. Gostei muito da obra e quando gostamos precisamos contar a todos. Beijos e obrigada pelo carinho. Idem! idem!

      Excluir
  2. Bullying não está tão longe da realidade assim , hoje em dia tu sofre bullying por usar uma roupa diferente,pela aparência , lugar onde mora entre tantas coisas .
    Eu já sofri bullying na escola ,em procurar emprego e vi muitas vezes pessoas que são próximas de mim sofrendo bullying realmente dá muita raiva mas vai adiantar fazer uma coisa em relação a isso , sempre vai existir enquanto a sociedade tiver o mesmo pensamento.

    Poxa todo mundo é igual .

    Beijo

    http://maagicamenteinexplicavel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nara! O Bullying está presente em vários ambientes e classes sociais onde existem crianças e adolescente. Ele sempre existiu e não sabíamos como resolver. Hoje podemos mudar essa situação. Não podemos deixar a raiva que você relatou machucar alguém, nem física, nem psicologicamente. Obrigada por sua participação! Um beijo

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Todos os nossos leitores são livres para expor a sua opinião e ela sempre será respeitada, desde que sejamos respeitados também.
    Os comentários acima foram retirados por conter expressões não adequadas ao perfil do Blog.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Nossa mas que trabalho ruim gente.

    ResponderExcluir
  7. Gisa, querida, perdão pelo comentário, mas respondendo ao Anônimo: quando você pesquisar e publicar um trabalho acadêmico mais completo que o meu, você terá base científica para criticá-lo. Qual é o seu Lattes mesmo?Aliás, quando você comprar e ler o meu livro, se você tiver algo que sobreponha cientificamente, academicamente ou moralmente o meu trabalho, você poderá pensar em fazer qualquer comentário positivo, porque aí, acrescentará à sociedade. Porém, para o momento, você tem apenas o codinome Anônimo, tão anônimo, quanto a sua significância.

    ResponderExcluir
  8. De leitura fácil e envolvente. Assim defino o primeiro de muitos livros da professora Juliana Munaretti O. Barbieri. A docente aborda conceitos, causas, consequências e possíveis soluções para o problema Bullying. Sem dúvidas, conhecimento é a melhor forma de prevenir. No caso da “subaquenta”, por exemplo, bastou ela ganhar um desodorante e os colegas se conscientizarem de que o apelido não tinha graça, para que se cessasse o constrangimento. Enfim, o livro é dinâmico, atual e enriquecedor. Vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Iago! O que mais me chama a atenção no Bullying é que pode começar de uma "brincadeira" e se transformar num sério problema. Como eu me sentiria se apelido fosse dado ao meu filho? Como pais e educadores devemos levar o assunto em frente e desfazer certas "brincadeirinhas". Fazer a criança e o adolescente pensar já é meio caminho andado. Obrigada pela participação. Abraços.

      Excluir
  9. Alguns dias atrás, em uma conversa com a Prof.ª Ms. Juliana Munaretti O. Barbieri, mencionei que a escola em que permaneci durante o período de 5ª à 8ª série, teve vários indicios de Bullying, sendo que em alguns casos eu mesmo estava presente, em que a direção da escola preferia encobrir tais fatos.
    Ao termino da leitura do livro " Bullying conhecimento é a melhor forma de previnir", percebi que não só a escola errou nesses casos, mas também as vitimas do problema que, muitas vezes, com medo de causar um motivo de vergonha ainda maior, não procuravam por ajuda, mesmo que fossem encorajadas pelos colegas.
    No geral, do mesmo modo que o livro serve para "ajudar" os jovens, sejam eles vítimas ou não do Bullying, serve também, para os pais desses jovens, mostrando a eles o modo de agir diante de seus filhos para evitar que esses venham a praticar Bullying contra os colegas, e se caso isso já aconteça, apresenta-lhes métodos para tentar acabar com tal problema.
    Recomendo o livro para todos os jovens e adultos que tenham algum tipo de interesse sobre o assunto.
    Por fim, desejo toda a sorte do mundo para a autora e que seu trabalho, como professora e pesquisadora sobre o assunto, evolua cada vez mais lhe trazendo muita felicidade e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana Gabriel. Um depoimento real da importância do conhecimento compartilhado com a sociedade e da consciência de muitos jovens de que esse problema é sério, mas pode ser combatido. Obrigada pelo seu depoimento. Abraços!

      Excluir