quarta-feira, 10 de abril de 2013

Seu filho come mal?

Quem já não teve problemas com a alimentação das crianças atire a primeira pedra. Por mais que a criança coma de tudo, sempre tem alguma coisa que podemos melhorar, mas o grande problema mesmo é quando a criança vai adquirindo maus hábitos alimentares e transformando a sua alimentação num verdadeiro caos. 
 
Mas como identificar se o que a criança come é bom ou ruim? Analisando os tipos de alimentos que ela come durante o dia. A preferência deve ser sempre  para frutas, vegetais, carnes e massas que são preparados em casa. E água, muita água. Se percebermos que durante o dia nada disso, ou pouco disso, faz parte da dieta do nosso filho, é hora de ligar o pisca alerta e repensar a alimentação.
 
Imagem
  
1º. Não existe negociação com a comida. Nada de trocar a comida por um brinquedo, por exemplo. Se ela não estiver com fome, sem problemas, vai comer bem na próxima refeição, mas nada de substituir por outro alimento.
 
2º. Bons hábitos aprendemos em casa. Toda a família deve buscar uma boa alimentação, por isso tenha atenção na hora de escolher os alimentos que vão fazer parte da sua geladeira e dispensa. "O que os olhos não vêem o cérebro não pede".
 
3º. Hora de comer é hora de reunir a família. Se isso não for possível durante a semana, procure preservar esse hábito pelos menos nos finais de semana. E faça com que a criança aprenda a comer na mesa.
 
4º. A hora da refeição é da refeição, não da TV, tablete ou qualquer brinquedo. Deixe momentos descontraídos para um dia diferente: dia da pizza por exemplo.  
 
5º. Mesmo tendo pouco tempo, estimule a criança a gostar de cozinhar, decorar e preparar as suas refeições. Nesse momento podemos descobrir que ela não gosta de purê de batatas, mas de batata assada no forno.
 
6º Tenha muita, mas muita paciência e não desista. Alimentar um filho é um gesto de carinho. Não se cobre demais, mas não ceda. Na maioria das vezes os maus hábitos estão ligados a outros fatores que, com atenção, conseguimos identificar como passar muito tempo em frente a TV, não praticar um esporte, ter acesso fácil a alimentos ruins.
 
E para nos ajudar a entender melhor como a alimentação pode ser melhorada, estreou no canal à cabo GNT o programa "Socorro! Meu Filho Come Mal". Uma série em formato de reality sobre alimentação infantil. A cada episódio, a nutricionista Gabriela Kapim recebe o pedido de socorro de uma família que tem alguma questão séria com a alimentação de seu filho.
 
Gabriela identifica as dificuldades e traça um plano de ação conjunto com a família para tentar reverter a situação com três metas a cumprir: uma fácil, uma média e uma difícil. Após estabelecidas as metas a família tenta colocar o plano em ação. A nutricionista faz visitas semanais para acompanhar a evolução do processo e no último encontro confere se a família conseguiu melhorar a alimentação da criança. Muito legal!
 
O programa mostra a realidade da alimentação infantil no Brasil e nos faz pensar com mais carinho em como podemos mudar nossos hábitos. Mesmo na correria do dia a dia, ninguém quer ver um filho com problemas de saúde quando chegar na adolescência ou na vida adulta. Somado a outros péssimos hábitos da vida moderna, isso pode ter sérias consequências. E o bacana é que Gabriela também é mãe e sabe como conduzir algumas situações que temos dificuldades. Confira! Nós adoramos! 
 
 
 
Aqui em casa o grande vilão são os sucos. Já estabelecemos metas e conversamos com os meninos para aumentarmos o consumo de água. E aí na sua casa, como anda a alimentação? Alguma dificuldades,  algum plano em ação, alguma conquista? Venha nos contar. 
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Dan é ótimo para comer. Poucas coisas ele rejeita. Ele não é fã de maçã. Mas, para não ficar sem, misturo na vitamina de mamão e ele nem sente. Gosta mais de água que de suco. Porém, muitas vezes, as refeições acompanhadas de algum programa que ele gosta. Acho que é meu único problema. Ele realmente se alimenta muito bem. Quando nega, pode contar, está com amigdalite! Rsrsrsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Myriam, bom mesmo. Os meus sempre comeram muito bem, mas após os 5 anos começaram a selecionar algumas coisas. Cada um tem as suas preferências. Acho que se levarmos uma boa alimentação durante a semana dá pra dar umas escapadas no final de semana. Beijo.
      Entre em contato por e-mail para que possa te fazer um convite. Não encontrei seu contato no blog.

      Excluir
  2. Acho que o Joaquim é um nenê fora do comum (acho que toda mãe pensa isso do filho né?!), ele come bem, tão bem que as professoras na escola falam que eu deveria pagar 2 mensalidades. Como faço acompanhamento para perder peso há muito tempo já adquirimos hábitos bem saudáveis aqui em casa, sempre temos frutas lavadas na fruteira, cortadinhas na geladeira, legumes lavados e cozidos, o que facilita ter a mãos coisas saudáveis, sem contar que a única besteira que tem lugar cativo é o chocolate, que ele não pode comer ainda porque só tem 9 meses, e por isso estamos investindo mais nas frutas e sopas de legumes, o resto, doces, bolachas e pães, como diz a pediatra "pra que dar se ele come tão bem as outras coisas?". Claro que estamos torcendo para ele crescer assim, bom de garfo, bom exemplo não fata!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns para o Joaquim! Aproveite mesmo essa fase. É no comecinho da vida que aprendemos a comer melhor. Depois que crescem, mesmo encontrando as besteiras pela frente, continuam aceitando as comidas saudáveis porque aprenderam a comer bem. Li seu último post. Você mora em Curitiba? Beijos.

    ResponderExcluir