sexta-feira, 22 de março de 2013

Ensinando a ter fé

Minha família nunca levou a prática de religião muito a sério, no sentido de praticar os cultos religiosos conforme os ensinamentos da igreja, mas fomos batizados, catequizados e eu, casei na igreja católica.

Imagem
Quanto tive meus filhos parece que a vontade de praticar ficou mais acentuada. Acho que a maternidade nos faz repensar muitas coisas. Pensamos mais na família, nos filhos e nos outros. Vivenciamos os medos. Medo de morrer, de adoecer e de sofrer. Acho que por isso a vontade de cuidar do espírito cresce.

Mais do que escolher uma religião ou uma prática é preciso acreditar. Mas acreditar em que ou em quem? Cada um deve descobrir. Eu aprendi, desde criança, que na vida existem coisas simplesmente inexplicáveis,  mas que precisamos passar por elas. A morte, as doenças e os sofrimentos fazem parte da vida e, mais cedo ou mais tarde, elas virão. Ter fé parece que faz esse "inexplicável" menos difícil.

Costumo praticar alguns ensinamentos religiosos com meus filhos, mas basicamente ensino a ter fé. Explico que Deus é único, mas que existem vários caminhos para alcançá-lo, várias religiões e várias práticas. Ensino a viver no amor, aprendendo a ser tolerantes com o outro, aprendendo a respeitar. 

Penso que a base espiritual cabe aos pais. Crianças com uma boa base serão capazes e preparadas para fazer suas escolhas futuras. Ninguém escolhe ou questiona um caminho se não tiver a oportunidade de conhecer pelo menos um.

E você, acha importante ensinar a ter fé?
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Gisa eu acho importante ensinar a ter fé. As meninas como são muito pequenas penso para juntares as mãozinha e pedir proteção para as pessoas que elas amam (as vezes demora um pouquinho nossa oração, porque ela lembram de todas as pessoas que rodeiam elas), outra coisa que tenho feito é ensinar as orações .

    Bom final de semana.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Desirée, que bacana! A fé faz pensarmos mais no outro e sua filha já faz isso desde tão cedo. Que fofura! Dificilmente ela vai deixar esse comportamento de lado quando for adulta. Um beijo.

      Excluir
  2. Primeira vez aqui no blog e gostando muito! =)

    Eu sou um tanto suspeita para falar sobre o assunto. Tenho minha religião, que é a mesma do meu marido, e a tenho como minha aliada! Ela - peraí! mais importante que ela, a minha fé - me sustenta e me fortalece.
    Para mim, na minha casa, é importante ensinar a fé a minha filha. Acredito que os conceitos que estão por trás da religião (quando utilizada com moderação e respeito) e da fé são de grande valia À educação dos filhos. O amar o próximo, o respeito, o não julgamento, a recompensa por boas atitudes, a caridade, a vida eterna, a proteção que vem do Alto, o nada é por acaso, a força, a coragem...
    Ensinar também a respeitar a religião dos outros e aqueles que em nada acreditam. Pois somos todos, absolutamente todos, iguais.
    Por isso, desde já, com apenas 6 meses, rezo com minha filha. Quando acorda e à noite. Agradeço pelo dia, peço proteção e paz. Tomara que ela aprenda!

    Patricia

    http://confissoesdarecemcasada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pati! Nossos ensinamentos servem para que eles tenham uma base. Certamente ela vai continuar a acreditar quando crescer, independente das escolhas por religião, práticas, rituais. Precisamos acima de tudo respeitar a escolha do outro. Muito legal! Um beijo e obrigada pela visita!!!

      Excluir
  3. Muito bom seu post, Gisa! Procuro ensinar a meus filhos a fé em Deus, a fé neles mesmos. É impressionante o suporte que a fé traz a nossa vida. E sua frase disse tudo: "Ninguém escolhe ou questiona um caminho se não tiver a oportunidade de conhecer pelo menos um."
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marusia! Obrigada! Acredito mesmo que o mínimo que podemos oferecer aos filhos é um caminho. Beijo!

      Excluir