segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Essa roupa eu não quero!

She knows
Quantas vezes você já ouviu essa frase: “Essa roupa eu não quero”! Para quem tem filhos que escolhem as próprias roupas a resposta pode ser: várias vezes.

Tem se tornando comum a preferência dos pequenos por um estilo, modelo ou cor de peças do vestuário. Normalmente é por volta dos cinco anos que eles começavam a demonstrar interesse na escolha das roupas, mas isso pode se tornar tornar birra se não soubermos controlar.  

Muitas vezes achamos graça e até gostamos dessa demonstração de personalidade, mas em alguns casos isso pode virar um verdadeiro caos na hora de trocar de roupa, principalmente quando a escolha não é apropriada ao clima, local ou evento. Um dia de festa pede uma roupa mais sofisticada, um dia de frio não é possível sair sem mangas ou um dia de escola não é possível ir de sandálias.
Meninas querem somente o rosa, meninos querem super heróis. Mães querem conforto, praticidade e muito estilo. Mas até que ponto nós estimulamos e permitimos muitas escolhas? Às vezes as próprias mães dão muitas opções e muita autonomia. Resultado: a criança vai aprendendo que pode escolher sempre e não dá mais ouvidos à opinião dos pais. Autonomia é bom, mas se for demais pode virar tirania.

Em determinadas situações é interessante deixar que a criança experimente. Escolheu uma peça de verão e sentiu frio, vai perceber que não fez uma escolha adequada e assim vai aprendendo. Agora quando isso se transforma em birra uma boa dica é dar três opções de roupas e ponto final. Às vezes o que falta é apenas ajudar. Ajudar com as escolhas, ajudar com os limites. Ceder, às vezes, é legal, mas ceder sempre atrapalha na hora que mais precisamos.

Com gêmeos, por exemplo, é muito importante permitir escolhas. Eles precisam ter a oportunidade de se diferenciar, de mostrar sua personalidade, mas também precisam de limites quando um deles não aceita vestir alguma peça de roupa.

Sempre optei por vestir meus filhos, pelo menos com cores diferentes. Diferenciando corte de cabelo ou calçados. Quando completaram cinco anos um deles começou a questionar que as roupas eram parecidas e aí começaram as mudanças. Nem sempre aceitam as opções, mas em determinadas situações acabam entendendo que é preciso estar vestido adequado ao local e ao clima. Com uma dose de paciência, acaba sendo divertido.

E aí na sua casa, como lida com essas questões? 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário