quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A separação dos gêmeos no colégio

Começaram as aulas. Uma grande mudança para os meus filhos gêmeos, mudança de escola e separação de sala. Saíram de uma escola pequena para uma instituição grande. Da educação infantil para o ensino fundamental. 

No ano passado eu já vinha preparando-os para essa mudança. Levei-os pra conhecer a instituição e contei algumas histórias. A cada oportunidade colocava o assunto em pauta. Fui percebendo que eles estavam realmente se preparando. Mas a grande questão é que iriam estudar em salas diferentes. Amadureci na cabecinha deles a ideia de que é legal viver momentos diferentes do irmão. Fazer novas amizades e aprender coisas diferentes. Um deles não gostou muito da novidade. 
 
Então resolvemos passar alumas horas na escola curtindo cada cantinho daquele mundo novo. Fomos à biblioteca, depois à cantina e assim conversamos sobre tudo que vinha na cabeça dos dois. De cara senti que eles iriam realmente adorar e foi exatamente isso que aconteceu.

O grande dia chegou e, mais familiarizados, entraram nas suas salas, tímidos, mas com coragem. Recordei-me de como isso também marcou a minha vida escolar. De como sentia saudades da minha mãe e tinha receio das mudanças. Nesse momento percebi como é importante oferecer uma base segura para os filhos. Sentir que os amamos, que vamos voltar para buscá-los e que queremos sempre o melhor nas nossas escolhas. Por mais que pareçam muito pequenos, eles percebem que queremos o bem. Fiquei esperando até que cada um, no seu momento, desse o "ok" para que pudesse sair de cena. E deram!

Quando retornei para buscá-los percebi a expressão de felicidade, vitória e alívio. Estavam felizes com a escolha da escola e aliviados por me encontrarem conforme o combinado. Mas acima de tudo estavam se sentindo vitoriosos por ter passado por uma etapa importante na vida de gêmeos: ficar separado um do outro. 

Educar filhos não é uma tarefa fácil e exige muita dedicação. Um dia achamos que fizemos o melhor, nos orgulhamos, contamos vantagens... No outro achamos que erramos, que podíamos ter feito de outra forma ou até que não sabemos como fazer. Ter gêmeos exige uma dose extra de atenção. Ambos querem ser tratados diferentes, querem coisas diferentes... No dia seguinte querem coisas iguais. Já quebrei muito a cabeça pensando onde erro e onde acerto e cheguei à conclusão que isso vai ser sempre assim.

Acho que a solução para os dilemas de educar gêmeos está na paciência, franqueza e respeito pela individualidade. Quando sinto que acerto, ponho em evidência o acerto. Quando erro, converso e explico que a intensão era a melhor. Procuro deixar bem claro para eles que mesmo nascidos no mesmo dia eles são pessoas diferentes, precisam fazer escolhas diferentes e que, nem sempre, a mamãe acerta!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Que legal te conhecer Gisa, eu morei em Curitiba até 2010, adoro a cidade.
    Vou te confessar que tenho um pouco de medo de separar os meninos, mas nada que com o tempo não vá acontecer, acho que no ensino fundamental será até necessário para separar a imagem que muitas vezes são conhecidos apenas como gêmeos e não pelos nomes!
    Bjos
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Ana! Quando chegar a hora você vai ver como vai ser bom pra eles. A gente é que sofre, mas eles querem ter suas individualidades preservadas. Você vai se espantar e vai achar o máximo. É bom ver eles se transformando nuns "hominhos".

      abs,

      Gisa

      Excluir