quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A participação do Pai

Falar dos pais é sempre uma tarefa difícil para uma mãe. A mãe acha que sabe tudo, que pode tudo, que entende tudo. Se coloca numa posição de verdadeira mulher maravilha, e muitas vezes, afasta o pai das tarefas e decisões com os filhos, tarefa que cabe aos dois.

Já é da natureza masculina evitar as tarefas domésticas e o cuidado com os filhos, mas as próprias mulheres afastam os homens das tentativas de aprender. Quando eles fazem alguma coisa, querem fazer do jeito deles, e nós mães, achamos que fazemos melhor. Seja trocar uma fralda, preparar um lanchinho, levar no cinema ou fazer o dever de casa. É comum dizer: "Não é assim... Você colocou pouco leite... Não esquece de segurar pela mão..." Com isso ficamos cada vez mais solicitadas e estressadas. Lógico que, se comparado há algumas décadas, houve uma mudança enorme na participação dos pais na criação e cuidado dos filhos, mas ainda assim a mulher se deixa levar pelo espírito maternal, de super heroína e quer fazer tudo.

Você já ouviu alguém chamar várias vezes no dia assim: "Manhêeee!" Então, isso acontece comigo todos os dias e me questiono se não estou atendendo prontamente a todos os pedidos e atrapalhando a comunicação entre eles e o pai. 

Esses dias estava assistindo a uma cena na TV em que um grupo de mães debatia as responsabilidade dos pais na educação dos filhos e achei a colocação de uma delas muito pertinente. "Alguns pais acreditam que todos os cuidados com os filhos devem ser delegados à mãe, porque ela parou de trabalhar para ficar com as crianças, mas se esquecem que a responsabilidade de educar é de ambos". Isso me fez pensar realmente no dia a dia. Se a mulher escolheu ficar mais disponível para os cuidados com os filhos, as tarefas como banho e alimentação acabam sendo mais frequentes para ela, mas é importante procurar dividí-las com os homens sempre que possível. Agora atividades como ler, ensinar, jogar, brincar e educar deve sim ser uma atividade dos dois e não só da mãe.

Uma criança que cresce convivendo com a participação do pai nos seus cuidados diários e na sua educação vai percebendo que isso é natural, saudável e prazeroso e, certamente, aplicará isso na sua vida adulta. Homens que foram acostumados a ajudar em casa tem maior facilidade em ajudar quando se tornam pais. Se hoje temos em casa maridos que ajudam, ótimo. Se não temos, devemos procurar conversar sobre isso e dividir as tarefas. Agora se temos filhos homens, é isso que devemos estimular: colaboração e independência. Quando crescerem vão nos agradecer.

Não é papai?
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário